BRAND. For lab. For life.


Materiais: Plástico
Características gerais

PS:
Poliestireno
Poliestireno é transparente, duro, quebradiço e dimensionalmente estável devido a sua estrutura amorfa. O PS possui uma resistência química boa para soluções aquosas, que, no entanto, é diminuída quando se usam solventes. Uma desvantagem é sua baixa estabilidade térmica e sua tendência à corrosão quando sob pressão.

SAN:
Copolímero de estireno-acrilnitrilo
Trata-se de um material transparente com pouca tendência `a quebra. Em comparação com PS, a resistência química de SAN é um pouco superior.

PC:
Policarbonato
Termoplástico composto de poliésteres lineares de ácidos carbônicos combinando propriedades de metais, vidros e plásticos. Os materiais são transparentes e possuem propriedades térmicas boas entre -130 e +130 °C. Nota: O policarbonato perde resistência quando esterilizado em autoclave ou quando exposto a detergentes alcalinos.

PMMA:
Polimetilmetacrilato
Rígido e transparente (vidro orgânico). Resistente aos agentes atmosféricos. Pode substituir o vidro em muitas aplicações nas quais se trabalha com uma temperatura abaixo de 90 °C e quando é necessária baixa resistência química. O PMMA possui excelente estabilidade frente a radiação UV.

PA:
Poliamidas
Poliamidas são polímeros lineares com ligações repetidas de cadeias de amidas. Com sua solidez típica e sua grande dureza, as poliamidas podem ser usadas como materiais estruturais e para cobrir a superfície de metais. As poliamidas possuem boa resistência química frente a solventes orgânicos, embora possam ser atacadas facilmente por ácidos e agentes oxidantes.

PVC:
Cloreto de polivinila
Os polímeros de cloreto de vinila são termoplásticos amorfos com ótima resistência química. Sua combinação com plastificantes possibilita uma grande quantidade de aplicações úteis, desde couro artificial até componentes para a fundição injetada de plásticos. O PVC possui boa resistência química, especialmente contra óleos.

POM: 
Polióxido de metileno
O POM apresenta propriedades superiores com relação a rigidez, solidez e resistência química, além de suas características deslizantes e de abrasão e pode substituir metais en uma grande variedade de aplicações. O POM é estavel até uma temperatura de 130 °C.

PP:
Polipropileno
O PP possui uma estrutura similar ao polietileno, porém com grupos metílicos em cada segundo átomo de carbono. A vantagem do PP, em comparação com PE está em sua maior resistência térmica. Este material pode ser esterilizado em autoclave (121 °C) repetidamente. Assim como as poliolefinas já mencionadas, O PP possui boas propriedades mecânicas e elevada resistência química, embora possa ser atacado por reagentes fortes de oxidação mais facilmente que PE-HD.

PMP:
Polimetilpentano
PMP é similar a PP, porém possui um grupo isobutílico em vez de um grupo metílico.
Sua resistência química é comparável à do PP, embora tenha tendência a quebrar-se quando sob tensão ou quando exposto a cetonas ou solventes clorados. Suas características mais importantes são sua excelente transparência e ótimas propriedades mecânicas a temperaturas elevadas até 150 °C.

PE-LD:
Polietileno de baixa densidade
A polimerização de etileno sob alta pressão resulta num certo número de estruturas laterais na cadeia molecular. Por essa razão o PE-LD apresenta estrutura molecular pouco compacta e com flexibilidade muito boa se comparado com PE-HD. Sua resistência química é boa exceto quando se trabalha com solventes orgânicos. Para esse caso, PE-HD possui uma resistência superior. A temperatura limite de uso é de aprox. 80 °C.

PE-HD:
Polietileno de alta densidade
O controle da polimerização de etileno por processo catalítico, resulta em poucas estruturas laterais na cadeia molecular, formando uma estrutura mais compacta, mais rígida, com resistência química mais elevada que pode ser utilizada até uma temperatura de 105 °C.

ETFE:
Copolímero de Etileno-Tetrafluoroetileno
O ETFE é um copolímero do etileno com clorotrifluoroetileno e/ou com tetrafluoroetileno. Este plástico é reconhecido pela excelente resistência química mas a sua estabilidade à temperatura é menor em comparação com o PTFE (acima de 150 °C).

PTFE
Politetrafluoretileno
O PTFE é um hidrocarboneto fluorado com uma estrutura molecular parcialmente cristalina. O PTFE é resistente a praticamente todas as substâncias químicas. Possui a maior faixa de temperatura de uso entre os plásticos, de -200 a +260 °C. Sua superfície é mais lisa e anti aderente, comparada ao FEP e PFA, além de possuir propriedades de isolante elétrico. A única desvantagem de PTFE é que ele somente pode ser moldado sob um processo de sinterização. O PTFE é opaco e pode ser usado em forno de microondas.

FEP:
Copolímero de propileno perfluoroetileno
Hidrocarboneto fluorado com uma estrutura macromolecular, parcialmente cristalina. A superfície é não adesiva. As propriedades mecânicas e químicas são comparáveis ao PTFE, mas a temperatura de trabalho é limitada na faixa de -100 a +205 °C. A absorção de água é extremamente baixa. O FEP é translucido.

PFA:
Copolímero de perfluoroalcóxi
São hidrocarbonetos fluorados com uma estrutura molecular que possui parcialmente estruturas cristalinas. Sua superfície é resistente à aderência. Suas propriedades mecânicas e inércia química são comparáveis ao PTFE. No entanto, seu uso está limitado a uma temperatura entre -200 a +260 °C. A absorção de água é extremamente baixa. O PFA é translúcido. O PFA é fabricado sem adição de catalizadores nem plastificantes e pode ser moldado produzindo uma superfície extremamente lisa, de fácil limpeza, sendo assim, especialmente adequado para a análise de traços.

PUR:
Poliuretano

Poliuretano é um plástico muito versátil e por isso é utilizado em uma grande variedade de aplicações. As moléculas são formadas por reação de poliadição de dialcoóis com poliisocianato. Como material de revestimento dos frascos graduados BLAUBRAND® é utilizado um PUR transparente, de alta qualidade, resistente a riscos, com boa elasticidade. A faixa de temperatura de trabalho pode variar de -30 a +80 °C. Breves exposições à temperaturas de até 135 °C são permitidas, mas acima deste limite há uma redução de elasticidade.